O caráter pode ser definido como hábitos desenvolvidos que dizem quem somos. Jesus Cristo é o maior exemplo de caráter, pois mesmo diante de tentações, provações, testes dos seus perseguidores e a própria morte, sempre mostrou-se em tudo irrepreensível. Mas Jesus também se preocupava com o caráter de seus discípulos, por isso, em várias ocasiões chamou-lhes a atenção para aquilo que deveriam ser e praticar. Jesus queria que seus discípulos se tornassem humildes, dependentes da graça de Deus, santos, justos, irrepreensíveis assim como Ele deu o exemplo. E podemos ver pelas Escrituras que pela graça e misericórdia de Deus a maioria dos seus discípulos seguiu seus passos, mostrando assim um verdadeiro caráter cristão. Assim como os primeiros discípulos, o Senhor Jesus também quer que apresentemos um caráter segundo o Seu exemplo. No entanto, algumas circunstâncias da vida podem nos desviar deste objetivo. Destacamos dois: 1 – Adversidades – Os momentos de provações são grandes indicadores do caráter das pessoas, nesses momentos é que revelamos nosso verdadeiro eu, se somos moldados pelas Escrituras ou pelas paixões do mundo. Durante nossa jornada aqui passamos por vários momentos turbulentos e a maneira como agimos ou reagimos nesses momentos revela quem na verdade somos e a quem servimos. 2 – Poder – Há um pensamento popular que diz que se queremos conhecer quem é a pessoa de fato deve ser dado poder a ela. Muitos têm caído diante do orgulho, tem aparência de humildade enquanto convém, mas depois de assumir um papel de destaque ou liderança revela a sua arrogância. A humildade faz parte do caráter cristão. Há porém em nossos dias uma característica que tem mascarado a falta de bom caráter de muitos, trata-se do carisma. Este pode ser definido como a habilidade de atrair as pessoas para perto de si. Ter carisma não é um problema em si, na realidade é bom e recomendável que sejamos pessoas agradáveis e que as outras pessoas gostem de estar conosco. Porém, quando o carisma se torna a única coisa que importa, corremos um grande risco. É por causa do carisma de muitos líderes que se dizem cristãos que muitos têm desviado da verdadeira fé, e mesmo quando são descobertas as falhas de caráter desses líderes (é certo que todos nós falhamos, então digo falhas no sentido de serem constantes e contumazes), o carisma parece cegar seus seguidores ao ponto de não enxergarem o óbvio. Estão tão envolvidos pelas palavras bonitas e o agir simpático que esquecem que Deus vê o coração e exige de nós muito mais que simpatia, mas sim um caráter santo, íntegro e puro. Para sermos pessoas com um caráter irrepreensível não basta apenas boa reputação ou carisma, pois estas coisas são o que o homem vê. É necessário viver na dependência de Deus e seguir o seu exemplo de maneira que até mesmo quando ninguém estiver nos vendo, ainda assim seremos íntegros aos olhos de Deus. Rev. Robson Luiz Silva dos Reis

Compartilhe usando: