Todos cristãos ou quase todos, já enfrentaram algum tipo de dilema sobre o que fazer perante a sociedade. Alguns têm facilidade na realização de suas tarefas cristãs que devem permear a sua geração porém nunca foi nem será assim para a maioria. Todavia, com base no relato bíblico quero repartir com você três coisas que todo cristão tem condição de fazer. Primeiro: todo cristão pode ser um encorajador. Vamos ao texto bíblico: “Enquanto amanhecia, Paulo rogava a todos que se alimentassem, dizendo: hoje, é o décimo quarto dia em que, esperando, estais sem, comer, nada tende provado. Eu vos rogo que comais alguma coisa [...]” (At 27. 33, 34). Já havia quatorze dias que os tripulantes do navio enfrentavam uma tempestade severa. O apóstolo Paulo, dentro dessa turbulência toda, percebeu que as pessoas precisavam ser encorajadas, precisavam de uma palavra de ânimo. Ele constatou que a tripulação não comia há tempo. Os homens não tinham apetite, mas Paulo lhes apresentou razão para comer. Aqueles homens foram assaltados pelo espírito pessimista, mas, o apóstolo relembrou-os acerca da promessa divina e os encorajou. Aquele momento não seria o fim, absolutamente não! Paulo percebeu o drama vivido por aquelas pessoas, e assim, se mostrou sensível a isso. Assim como Paulo foi um exímio encorajador, você também pode ser. Olhe para as pessoas que estão à sua volta mais atentamente, então seja sensível a elas e as encoraje quando necessário. Há sempre alguém precisando de uma boa palavra. O problema é que estamos nos tornando insensíveis ao próximo e estamos deixando de cumprir o nosso dever. Segundo: todo cristão pode ser uma testemunha. Mais uma vez vamos à Escritura: “Tendo dito isto, tomando um pão, deu graças a Deus na presença de todos [...]” (At 27. 35). Paulo aproveitou a oportunidade perante um grande grupo de religiosidade diversa. Ele não perdeu tempo, por intermédio da oração testemunhou perante todos. Ele assumiu a sua postura de testemunha, não se importando com o que os outros iriam pensar ou falar. As pessoas, além de verem a postura de Paulo, escutaram também a sua oração num momento em que estavam desalentadas. Paulo mostrou em quem estava a sua confiança e procedendo assim, diante de todos, deu graças a Deus. Você deve ser uma testemunha de Cristo em todo tempo, e em qualquer lugar. Todo cristão tem plena condição de assim proceder e se posicionar. Terceiro: todo cristão pode ser um exemplo. Novamente vamos à palavra de Deus: “[...] e, depois de o partir, começou a comer” (At 27. 35). O apóstolo falou, mas também exemplificou. Paulo não apenas falou para as pessoas que elas precisavam comer, ele orou por isso e foi o primeiro a comer o pão. Semelhantemente, devemos falar o que as pessoas precisam ouvir, da mesma forma precisamos também fazer o que falamos, sermos exemplos na prática. A nossa geração precisa ouvir o evangelho, mas também quer ver autoridade naquele que prega o evangelho. Que de fato comprovemos aquilo que cremos por meio daquilo que fazemos. O discurso é necessário, mas é preciso dar ou ser o exemplo. O que falamos, o que fazemos e modo como vivemos para a glória de Deus pode gerar efeitos maravilhosos nas pessoas que convivem conosco. Naquele cenário: “Todos cobraram ânimo e se puseram também a comer” (At 27. 36). O que falamos, o que temos feito e o modo que temos vivido tem impactado saudavelmente a vida das pessoas? Lembre-se: todo cristão pode ser um encorajador, uma testemunha e um exemplo vivo na sociedade contemporânea. Qualquer que seja a situação, você deve, pode e consegue fazer o que o apóstolo fez. Rev. Fabio Henrique de Jesus Caetano

Compartilhe usando: