“...Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;” (Mt.6.9) Este é o início de uma das passagens mais recitadas em todo o mundo, por várias pessoas todos os dias. É o início da Oração conhecida como Oração Dominical, mas possivelmente o melhor título seria Oração Modelo. Esta oração está inserida no sermão mais proeminente da história, o Sermão do Monte. Ela nos ensina como orar e pelo que orar. Mas, ao longo do tempo, essa oração foi perdendo seu significado e começou a ser usada como um amuleto, ou ainda como razão de penitência, outros ainda acham que se repeti-la várias vezes obterá algum benefício, mas ainda há os que a recitam displicentemente como qualquer poesia. A introdução invocatória desta oração com vemos no texto supracitado nos ensina verdades preciosas que compartilharemos nesse instante: **1 – Deus procura intimidade com seus filhos** A palavra grega que Jesus usa para Pai é Abba, que significa papai ou papaizinho. Isso é muito diferente da visão que um judeu tinha de Deus como Pai, não que eles não vissem Deus como Pai, mas a figura de Deus como pai estava mais para um Pai severo que castiga seus filhos quando lhe desobedecem. Isso também não significa que eles não criam na bondade de Deus, mas atribuíam essa bondade de Deus às suas atitudes. Ou seja se eles obedecessem ganharia recompensa, mas se desobedecessem seriam castigados. Jesus, porém, nos ensina que Deus quer intimidade com seus filhos. Que o nosso Deus e Pai, bondoso e misericordioso, está com seus ouvidos atentos parta ouvir nosso clamor, nosso louvor. A prova maior da bondade de Deus para conosco é a vinda de Jesus, que morreu por nós, mostrando o amor e a bondade de Deus aos seus filhos, não por aquilo que fazemos ou deixamos de fazer, porque a própria Escritura nos afirma que ele fez isso por nós ainda sendo pecadores. Portanto, por meio de Jesus podemos nos achegar a Deus e nos aconchegar nos braços poderosos de nosso Pai. **2 – Deus ouve somente seus filhos** Dizem que todos são filhos de Deus. Entretanto, essa a Bíblia nos mostra o contrário disso. Somente os que foram adotados por Deus por intermédio de Cristo são verdadeiramente seus filhos e somente eles são ouvidos em suas súplicas e orações. Isso não significa que Deus não abençoa também de uma certa forma o ímpio. É claro que ele também é beneficiado em muitas coisas. No entanto no que diz respeito as bênçãos celestiais somente nós, filhos adotados por Cristo temos acesso ao Pai. Como diz o apóstolo João “mas a todos quanto o receberam, deu-lhes o poder de serem filhos de Deus, a saber, os que crêem no seu nome”. (Jo.1.12). São esses que crêem em Jesus Cristo que o pai ouve e atende as orações, provendo o que necessitam, perdoando seu pecados e renovando suas forças. **3 – Deus é o Pai Supremo** Jesus apresentou o Pai que quer intimidade com seus filhos, que está no meio de seus filhos, mas também ensinou que esse Pai é soberano, excelso e Todo Poderoso. O Deus transcendente que está nos céus reinando com poder e glória e deve ser honrado, exaltado e adorado. Por causa disso, não podemos nos esquecer da reverência diante desse Pai Celestial. A nossa intimidade com Deus não pode ser demonstrada por meios desrespeitosos e vulgares. Infelizmente, orações. Cânticos e até mesmo sermões tem exagerado na busca de intimidade e tem extrapolado o senso da soberania de majestade de Deus. Quando buscamos intimidade com deus, precisamos reconhecer que Ele é e quem somos nós. Se não tivermos a visão correta de Deus como Pai e nós como filhos, ainda que tenhamos a intenção de buscar intimidade, o que conseguiremos na realidade é ofender a santidade e desonrar a majestade de Deus. Concluindo, quero lembra-los que a oração modelo ensinada por Jesus não pode ser recitada por nós como um simples poema. Talvez você já tenha recitado tantas vezes que já não presta mais atenção nas lições que ele nos traz. Mas porque ela ainda é tão válida a nós? A resposta é simples, porque ela é Palavra de Deus e como tal, pela iluminação do Espírito Santo, está registrada nas Escrituras para a nossa edificação. Leia essa passagem de uma maneira diferente, não como um conjunto de versículos que você já conhece desde a infância, mas com palavra de Deus que te alimenta, te ensina e te edifica. Que Deus nos abençoe! Rev. Robson Luiz Silva dos Reis

Compartilhe usando: