O nosso tempo é caracterizado pela pouca valorização dos compromissos. Vemos isso em todas as esferas da sociedade, nas profissões, na política, no casamento etc. Para o cristão, entretanto, os compromissos são fundamentais, isso faz parte da nossa história e da nossa essência. As Escrituras mostram o tempo todo sobre o princípio dos compromissos e o quanto eles são importantes para nós. O mais importante e a base de todos os compromissos que temos é o compromisso com Deus. As Escrituras usam um conceito especial quando se fala deste compromisso, a expressão que é usada para demonstrá-lo é “aliança”. Deus estabeleceu alianças com aqueles que Ele ama. Deus compromete-se conosco e é fiel a esse compromisso. O amor de Deus não é informal, mas sim refletido nas alianças. Paulo nos exorta em Romanos 12 que é necessário apresentar o nosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, já não é mais animal morto, mas é o nosso corpo vivo, este é o pacto que estabelecemos com Deus, a nossa dedicação, o nosso serviço e o nosso coração voltado para viver somente por Ele e para Ele. No entanto, por causa desse compromisso que temos com Deus, temos outros compromissos. Entre eles está o compromisso com nossos irmãos, aqueles que o apóstolo Paulo diz “por quem Cristo morreu”. Este compromisso é cláusula irrevogável do nosso principal compromisso. Tanto é assim que João em sua primeira carta nos afirma que se não amamos nosso irmão, então também não amamos a Deus. Para cumprirmos o nosso compromisso com Deus é imprescindível que amemos nosso irmão, portanto, honremos nosso compromisso com Deus amando nosso irmão. Temos também outro compromisso que flui destes dois anteriores, o exercício do compromisso com a comunidade cristã, a Igreja. Fazemos parte de um corpo e precisamos servir neste corpo. Assim como um órgão do nosso corpo em mau funcionamento prejudica todo o nosso corpo, assim também acontece quando não assumimos compromisso com o corpo de Cristo. Fazemos este corpo ficar doente. É dever de todo crente engajar-se na obra de Cristo promovido pela Igreja. Dentro deste compromisso estão inseridas as cláusulas da nossa assiduidade, disposição para servir, contribuição financeira, oração, obediência às doutrinas bíblicas e obediência as autoridades constituídas. Todos aqueles que já fizeram sua pública profissão de fé já fizeram promessas relacionadas a esses compromissos, você se lembra? Sejamos crentes comprometidos, não podemos abrir mão deste princípio, porque é o Senhor quem vai cobrá-lo. Sabemos que somos fracos, e por isso, tropeçamos em alguns destes requisitos, mas quando clamamos ao Senhor, sempre temos a certeza de Sua ajuda para cumprir. Busquemos ser fiéis ao Senhor, porque o Senhor sempre se manteve fiel ao que Ele prometeu em suas alianças. Que o Senhor Jesus nos abençoe! **Rev. Robson Luiz Silva dos Reis**

Compartilhe usando: