Você fez algum plano para o ano que se finda? Você tem um projeto para o ano que vai iniciar? Fazer projeto, traçar uma meta, ter um alvo, elaborar um plano é algo que contrapõe a vontade soberana do Senhor? A resposta é um retumbante não! Só sei que precisamos fazê-los. Ainda dá tempo de elaborar um plano. Você tem um? Qual é o seu? Ouvi ou li, certa feita, não sei bem o que foi, só sei que foi uma coisa ou outra, que os japoneses gastam mais tempo elaborando um projeto, com isso, gastam menos tempo durante a execução. Já os brasileiros são diferentes. Gastam menos tempo planejando e mais tempo executando. Há quem diga que não faz parte de nossa história planejar, todavia, tal elaboração é importante e necessária. Ter um plano é sábio. Pode ser que você tenha que agir de improviso, entretanto, os improvisos devem ser a exceção, não a regra. Planeje enquanto há tempo. Diante do exposto, fica o alerta: já, já colocaremos os pés na rodagem de um ano novo. Faltam apenas quatro dias para finalizar o ano. Definitivamente chegamos à reta final de 2018. E quantas coisas aconteceram, algumas boas, outras não tão boas. Para muitos a sensação é de que o ano foi curto, infelizmente não deu para fazer tudo que gostariam de fazer. Para tantos outros o ano foi longo demais. As lutas foram intensas, e, portanto a sensação foi de que o tempo foi esticado. Logo, a sensação de uns não é a mesma de outros. Para alguns “faltou tempo” para concluir o projeto, para outros “sobrou tempo”. De fato são experiências distintas e paradoxais. Se fizéssemos uma enquete provavelmente constataríamos pelo menos três tipos de pessoas durante o curso do ano. O primeiro tipo são as pessoas realizadas, aquelas que estão se regozijando, as quais fizeram planos e viu a concretização deles. O segundo tipo são as fracassadas, aquelas que estão cabisbaixas porque não conseguiram ver a concretização de seus planos. Foi um ano de perdas. Estão frustradas, mas não destruídas. O terceiro tipo são aquelas que não planejaram nada e que foram carregadas como palha seca de um lado para o outro. O certo é que muitas pessoas conseguiram triunfar diante do desafio da vida. Venceram mesmo diante da crise econômica que assolou o nosso país e conseguiram superar os paredões das adversidades. Outras estão chegando ao fim da maratona cansadas, as forças foram drenadas e o ânimo se esvaiu, pois as lutas foram severas e os intentos fracassaram. Ainda um terceiro tipo começou sendo carregado pelo vento e chegam ao fim do ano da mesma forma que iniciou, sem rumo, perspectiva e sem nenhum projeto para começar novamente. Portanto, dentro daquilo que classificamos como tempo muitas pessoas realizaram aquilo que planejaram. Outros, entretanto, chegam ao fim com o sentimento de frustração. “Não deu!” “Novamente não consegui!” “Fracassei novamente!” Expectativas foram frustradas. Sonhos foram soterrados. Decepções aconteceram. Talvez você esteja se sentindo um trapo e também cansado e desanimado. Saiba de uma coisa, você não está sozinho, com toda certeza há milhares de pessoas pensando igualzinho a você. Ah! Outros estão hilariantes. “consegui!” “Deu tudo certo!” “Valeu à pena!”, mas sem medo de errar, não foi assim para todos. Não sei em qual classe você se enquadra. Também, a essa altura não importa, bola para frente. O bonde não pode parar. Vida que segue. Aceite a verdade de que o ano não volta mais e encare o fato de um novo desafio, uma nova oportunidade se aproxima com rapidez. Não fique olhando para o passado, a não ser que seja para tirar uma boa lição. Ele pode ser um instrumento pedagógico, mas também pode ser uma prisão. Se visitá-lo, tome cuidado, muito cuidado para não ficar enjaulado. Agora é tempo de olhar para o futuro e olhe para frente com expectativa. Bote a sua confiança naquele que governa a história. Se nunca planejou, pare agora e planeje. Se você planejou e nada deu certo, planeje novamente. Se você é o ovelha de Cristo, então esteja certo ou certa de uma coisa: "Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR para todo o sempre" (Sl 23. 6). Não tenha medo do futuro. O Senhor cuida de suas ovelhas. Feliz ano novo! Rev. Fábio Henrique

Compartilhe usando: